Sistema econômico – Você conhece essa doença?

Pirâmide - Sistema Econômico

Que nossa sociedade está doente não é novidade alguma, o problema é que estamos combatendo os sintomas e não as causas da doença, por pura ignorância.

Você já ouviu falar sobre o esquema pirâmide ou corrente?

E em marketing multinível, esquema Ponzi ou marketing de rede?

Pois bem, nesse tipo de golpe comercial, pessoas são recrutadas progressivamente para entrar na base da pirâmide sustentando financeiramente as pessoas que estão acima, o que consequentemente faz a pirâmide crescer até um ponto em que se torna insustentável. Porém, no período de tempo entre o início da pirâmide e de sua autodestruição, a pessoa que está no topo enriquece consideravelmente, sustentada pelas pessoas dos níveis abaixo que acabam empobrecendo.

No Brasil e em outros países, a prática do esquema de pirâmide é ilegal, a não ser que envolva produtos ou serviços. Certamente é assim, pois a própria economia seria ilegal, já que se enquadra no esquema de pirâmide.

Uma breve história

Em nossa sociedade, o comércio começou com trocas de produtos ou serviços, e mais tarde, estes foram sendo representados por pedras e metais raros, como diamantes, ouro, prata, bronze etc.

Com o passar do tempo, algumas pessoas criaram bancos com o objetivo de guardar as riquezas de outras, lucrando com a cobrança de taxas por esse serviço.

O povo começou a negociar usando os recibos de depósito desses bancos, o que deu origem ao dinheiro de papel, tendo o seu lastro em ouro.

Os banqueiros rapidamente acumularam muito dinheiro de seus depositários, o que despertou ainda mais suas ganâncias. Agora eles podiam emprestar o que não lhes pertencia e ganhar mais cobrando juros, além das taxas.

Os gananciosos foram ainda mais longe, aumentaram suas posses investindo o dinheiro alheio em petróleo, fábricas com obsolescência programada, estagnação tecnológica, multinacionais, terras, guerras, crises e tudo que poderia gerar lucros astronômicos e contínuos, monopolizando e tomando conta de tudo.

O império banqueiro continuou crescendo, mas como todo esquema de pirâmide é insustentável, a economia começou a desmoronar com a Primeira Guerra Mundial, então os bancos abandonaram o padrão-ouro e começaram a imprimir dinheiro sem lastro algum, apenas baseado em dívidas. Porém, todo o ouro do país ficou guardado em seus cofres.

Com tanto poder, governos foram comprados secretamente e os bancos se transformaram em mega bancos ou bancos centrais, que passaram a ter o poder de comandar a economia de uma nação.

A elite banqueira coloca poder, luxo e riqueza acima de qualquer coisa. São poucas as famílias que fazem parte desse império, mas são as responsáveis pelas mortes ou sofrimento de bilhões de pessoas e pela destruição do nosso meio ambiente, através de suas indústrias do “progresso”.

Coincidentemente, a nota de um dólar possui uma imagem de pirâmide, que paralelamente à definição oficial, parece exaltar o topo e quem nele está.

Nível 1 – O topo

Composto por menos de 1% da população mundial, o topo é formado pelos que mandam realmente. São os donos do mundo, faraós criadores da pirâmide:

  1. Banqueiros – donos de bancos centrais, que “regulam” a economia de um país ou vários, e bancos menores, que ganham com dívidas ou taxas de produtos ou serviços;
  2. Oligarcas do petróleo – donos de empresas que extraem, refinam e distribuem petróleo e seus derivados;
  3. Donos de multinacionais – como empresas de comunicação, energia, tratamento de água, carnes, sementes transgênicas, agrotóxicos, remédios, mineração, veículos etc.

Nível 2 – Administradores regionais

O nível 2 é formada por verdadeiros fantoches do nível 1, pois quem não adere à pirâmide, é perseguido pela máfia do nível 1:

  1. Governos, presidentes, reis, rainhas, ditadores e líderes políticos – que fazem as leis ou ditaduras exclusivas para sustentar o topo. Em benefício, ganham riquezas e luxos irrisórios, se comparados com as pessoas que integram o topo;
  2. Mídia – donos de emissoras de TV, rádio, jornais impressos ou internet. Geralmente a maioria deles pertence a uma só pessoa ou grupo. Isso lhe proporciona poder para alienar uma nação e derrubar governos, quesito que o coloca no nível 2 e 3.

Nível 3 – Agentes alienantes

O nível 3 é responsável por distrair o povo do objetivo comum, aniquilando o raciocínio e o potencial crítico de cada um:

  1. Mídia – Idem ao item 2 do nível 2 – Administradores regionais. Desinforma com notícias irrelevantes, parciais ou amedrontadoras. Entretêm o povo com transmissão de esportes, como o futebol, com reality shows, como BBB, com novelas, programas de auditório etc.;
  2. Religião – papas, padres, bispos, missionários, pastores, rabinos e outros líderes religiosos. Grande maioria, dentre as milhares de religiões, destrói o raciocínio lógico de seus fiéis. Se auto intitulam donos da verdade absoluta e amedrontam as pessoas com punições divinas baseadas em textos mitológicos. Algumas extorquem dinheiro de seus fiéis, usando técnicas avançadas de persuasão. O passado da religião está imerso em guerras pela dominação, em nome de seus deuses;
  3. Educação – escolas, colégios, faculdades e universidades. Imposta pelos governos, o principal objetivo da educação é moldar o senso crítico, criatividade e desenvolvimento individual. Segue uma metodologia parecida com a linha de produção de uma fábrica. Padroniza as pessoas desde crianças até se tornarem adultas. Esse é o motivo pelo qual existem preconceitos e discriminações. A mídia também contribui, com sua programação, nesse aspecto.

E você? É um alienado?

Nível 4 – Povo

O nível 4 é a base da pirâmide. Nela estão os escravos que mantém a pirâmide erguida. Escravos, porque são obrigados a fazer o que não gostam para sobreviver na sociedade fiel ao sistema econômico. A base é composta por uma mescla de:

  1. Autoridades – forças armadas (exército, aeronáutica, marinha e polícias). Eles usam a força para executar ordens dadas por líderes políticos. O objetivo é proteger a pirâmide de rebeliões ou de “crimes” contra ela. A segurança da nação ou das pessoas é somente fachada para tentar manter a ordem em um sistema caótico.
  2. Trabalhadores – pessoas que mantêm toda a pirâmide com trabalhos fundamentais ou repetitivos. A pirâmide os obriga a trabalhar em trabalhos que não gostam, pois caso contrário, não teriam acesso à alimentação, água, moradia e todos os bens comuns e necessários à sobrevivência.
  3. Alienados – pessoas desprovidas de pensar. São pessoas que se confortam na frente de seus aparelhos de TVs ou em igrejas e, consequentemente, são guiadas por eles.
    São, também, pessoas que adquirem a falsa necessidade de comprar, de consumir além do normal, para se sentirem melhores que seus vizinhos. São hipnotizadas pela TV, por novelas, esportes, reality shows, programas de auditório, notícias sensacionalistas ou aterrorizadoras e toda programação lixo que tenha o potencial de afastá-los de um objetivo em comum: a nossa sociedade. São também resultados de uma educação padronizadora.
  4. Preconceituosos – são pessoas que aprendem na escola, TV ou igrejas a distinguir  e discriminar outras pessoas por suas aparências, preferências ou ideias. Enquanto brigam por direitos, denominando-se minorias, falta-lhes coesão para conseguir conquistar os direitos humanos para todos através de uma democracia direta.
  5. Conscientes – pessoas que, mesmo com todas as dificuldades, conseguiram desenvolver um senso crítico e aprenderam a não acreditar em qualquer coisa. Esse tipo de pessoa era raro, porém, a cada dia, mais e mais despertam do transe imposto pela pirâmide e ajudam a acordar seus familiares e amigos. Se você leu até aqui, certamente já faz parte desse grupo, pois está buscando mais informações, por não aceitar as incoerentes que são replicadas pelos agentes alienantes.

Diagnóstico

Como pudemos notar, fica evidente o porquê dos regimes não funcionarem. Não importa se é comunismo, socialismo ou capitalismo: se é baseado no dinheiro, há corrupção. Esta é a doença que se alastrou na nossa sociedade, através do dinheiro e de seu controle.

A cura

Para acabar com a doença do sistema econômico e derrubar essa pirâmide, temos que encontrar alternativas para suprir nossas necessidades comuns. Sermos independentes. Tornar cada residência autossuficiente e autossustentável com energia, água, alimentos e comunicação, assim como aconteceu em Guerra dos Cocos. Tecnologia para tudo isso existe há mais de um século e é escondida, através de patentes, pelo topo da pirâmide.

Está surgindo uma nova consciência que vê a terra como um só organismo, e que reconhece que um organismo em guerra, consigo mesmo, está condenado. – Carl Sagan

Anúncios

17 comentários em “Sistema econômico – Você conhece essa doença?

    • Certamente estão espalhados por toda a pirâmide, já que são simpatizantes e divulgadores das doutrinas desse sistema econômico.
      Em miúdos, acreditam cegamente no puro capitalismo, pois não enxergam que esse pseudo-sistema:

      • Têm a necessidade infinita de crescer, mas os recursos da Terra são finitos;
      • É imperialista ou monopolista, pois o topo compra, destrói ou controla tudo que apresente crescimento significativo ou ameaça;
      • É anti-democrático, pois o poder não está no povo. Os apologistas do capitalismo deturpam o significado de democracia a divulgando juntamente com o capitalismo;
      • Não é ciência e nem condiz com a natureza, é um golpe criado por gananciosos.

      Neoliberais, apologistas do capitalismo e adeptos do mises.org, geralmente, são produtos dos agentes alienantes. Qualquer pessoa que analise logicamente esse pseudo-sistema, chegará a uma conclusão parecida com esta que apresentei.

      Como disse Henry Ford, criador da montagem em série, pai das fábricas modernas: “Convém que o povo não perceba como funciona o sistema bancário e monetário, pois se percebesse, acredito que haveria uma revolução antes de amanhecer.”

      • Dos quatro pontos destacados, concordo com três. O que eu acho muito interessante e que pouco se critica, é justamente o terceiro item. Eles de fato distorcem o significado de democracia, pois tomam o modelo atualmente adotado na maioria das nações como a democracia propriamente dita, o que é um absurdo.
        Tem um item com o qual não discordo necessariamente, mas que acho importante fazer algumas distinções. É o segundo item. De fato, o capitalismo nos dias de hoje é ainda imperialista e monopolista. No modelo de livre mercado o imperialismo é claramente defendido, mas não se defende o monopólio. Na verdade, dizem que muitas mazelas sociais são causadas pelos monopólios, os quais existem devido à existência do Estado.

  1. Acho que deveria haver um novo tipo de economia como ja esta acontecendo em alguns países onde se prioriza a felicidade em vês do dinheiro com sistema de trocas , ex. Você. E um dentista e troca uma obturação por 5 kilos de carne ou outro material qualquer o qual seria gerido por um banco de horas, é muito inttresante

    • O problema novamente é que alguém vai “cuidar” desse banco de horas. Então a corrupção pode se adaptar a esse novo sistema. Tem tudo a ver com dar poder demais a alguém.
      A solução mais viável que conheço é criarmos uma democracia direta e instituirmos um sistema baseado em recursos acabando de uma vez por todas com o dinheiro. Geraríamos uma sociedade sem precedentes, como o exemplo de cidade, totalmente estatizada, descrito em “Privatização é a melhor saída?“.
      Conheça o sistema baseado em recursos assistindo o filme Zeitgeist Moving Forward disponível em http://mzbr.com.br.

      • privatiza é a mesma coisa quer deixa na mão de poucos,favorece a uma pequena parcela , com fica os demais?se não ouve-se tantas janelas de fuga para sustenta o erro,creio quer téria solução.

  2. Ou seja, a solução proposta é um anarco-comunismo com um sistema democrático. Muito bom, tudo isso já deu ERRADO. Já sabemos que o sistema democrático provoca o crescimento do Estado e a diminuição da liberdade individual. Onde existe concentração de poder, existe corrupção. O anarco-comunismo, sem dinheiro, já foi tentado em Pol Pot, Camboja, e o resultado foi uma catástrofe.
    O dinheiro é apenas uma ferramenta para facilitar trocas. Sem ele, teríamos que ficar carregando produtos para todos os lados.
    Como vamos tornar “todos” os lares auto-suficientes? Com o trabalho de QUEM? Quem aceitaria trocar seu trabalho por quilos de carne ou arroz? Como faríamos para controlar a escassez de produtos sem cálculo econômico? Quem vai decidir para onde vão os recursos? Quem vai garantir que esse “grupo” não vai tomar vantagem desse poder? Como todas as 7 bilhões de pessoas do mundo vão participar de uma democracia direta?
    Na boa, esse texto é suficiente apenas para atrair pré-adolescentes que procuram um motivo para sua revoltinha. Um pouco mais de estudo e esse texto todo perde completamente o sentido. Uma simples conversa com um bom professor de economia destrói isso tudo.

    • Realmente, onde existe concentração de poder, existe corrupção. E o dinheiro faz isso.

      Quem realmente trabalha e faz pela sociedade é quem menos ganha. Políticos, banqueiros e empresários que se importam somente com lucro e crescimento são os únicos que enriquecem.

      Pelo lucro (dinheiro):

      – Curas são engavetadas pelas indústrias farmacêuticas para perpetuarem doenças e seus remédios, como denunciado pelo Nobel de medicina Richard J. Roberts;
      – A maioria dos produtos, quase que na totalidade, são fabricados para estragar, veja o filme “Comprar, Tirar, Comprar“ de Cosima Dannoritzer;
      – Indústrias envenenam solo, ar e mar com resíduos químicos, em especial com agrotóxicos, como mostrado em “O Mundo segundo a Monsanto” de Marie-Monique Robin;
      – Políticos fraudam licitações, aprovam leis, desvalorizam estatais em privatizações e tudo mais que possam fazer para roubar mais dinheiro.

      Liberdade individual? Você acha que é livre? Tente ir a algum lugar sem dinheiro.

      Trabalho para todos? Nunca houve e haverá cada vez menos. A mecanização passou pelas fábricas e já está nos serviços. Precisamos repensar em um novo sistema para gerir nossa sociedade e principalmente os recursos do planeta.

      Como vamos tornar “todos” os lares autossuficientes? Com o trabalho de quem? E suas outras perguntas, para uma possível solução, veja “Zeitgeist – Moving Forward”. Só que para chegarmos nisso precisaremos de uma democracia direta, pois com a política e economia do jeito que está, nunca conseguiremos.

      Um professor de economia não trará solução alguma, pois tudo que ele sabe é baseado em dinheiro. Além disso, economia não é ciência exata, é um delírio do sistema. Como pode a economia pregar crescimento infinito em um planeta finito? Como você mencionou, somos mais de 7 bilhões de pessoas e em 2050 seremos 9 bilhões.
      Isso não é nada de anarco-comunismo. Não rotule o que não conhece.

      Não entendo esse teu ataque agressivo contra um ponto de vista, pois ao invés de criticar e rotular como um texto de pré-adolescente, você realmente não contribui, apresentando um novo ponto de vista, uma solução ou então apenas ficando quieto. Que todas essas coisas não funcionam a gente já sabe, não precisa ficar repetindo como um papagaio ou será que você faz parte do topo dessa pirâmide?

      Ser Jovem é ter a mente aberta. Já conheci muitos velhos Jovens, mas muito mais ainda jovens e velhos Velhos. O importante é que qualquer um, inclusive você, pode rejuvenescer.

      • Enquanto o dinheiro for a base de tudo num modo geral não da pra mudar praticamente nada!!!
        d
        Direitos e deveres o que é isso? Existe?

  3. Desculpe Sr. Lightning Bolt, mas a sua resposta reforçou minha tese de que seu ponto de vista é de um pré-adolescente, assim como esse texto.

    Primeiro, “ter a mente aberta” não significa se agarrar a qualquer ponto de vista maluco que aparece pela frente com o objetivo de salvar o mundo. Ser jovem não é concordar automaticamente com o que você pensa.

    Segundo, a crítica é uma ferramente muito utilizada no ambiente acadêmico. Ela ajuda a ajustar, melhorar e evoluir teorias em todos os campos. Filósofos criticam outros filósofos e com isso as teorias evoluem.
    Aceite minhas críticas e tire proveito para melhorar sua teoria, ao invés de chorar como um pré-adolescente só por que eu discordo do seu ponto de vista.

    Para sua informação, sou um jovem de 29 anos e não pertenço ao topo da piramide. Mas reconheço que gostei de não ter meu comentário apagado pela sua moderação. Confesso que esperava isso.

    Então concordamos que “onde existe concentração de poder, existe corrupção”. Porém existe uma diferença entre a corrupção no governo e a corrupção em um ambiente privado.
    Quem paga a corrupção no governo é o povo, pois o dinheiro do governo vem do povo através de impostos. Não há incentivo para lutar contra a corrupção se o dinheiro não vem do trabalho deles próprios. Mas a corrupção em uma empresa privada, obriga-a a acabar com a corrupção, pois uma empresa não possui dinheiro infinito. Ou seja, se existe corrupção no McDonald’s por exemplo, não é problema meu, eles é que precisam combater este problema para não abrir falência.

    O lucro é uma recompensa a alguém ou uma sociedade (empresa) por ser capaz de oferecer um produto/serviço que atenda a vontade das pessoas, inclusive alguns serviços grátis que é o caso do Facebook, Google, etc.

    -Pesquisas farmacêuticas custam muito caro. Os laboratórios precisam de dinheiro para se manter e manter as pesquisas.
    Se você fosse um empreendedor em busca do lucro, como custearia uma pesquisa para a cura da Aids? Não seria mais lógico lançar logo a cura para lucrar com ela e evitar a possível ameaça de um laboratório concorrente lançar na sua frente?
    -Imagine um mundo onde os produtos não estragariam. Como ficariam os empregos sem o consumismo das pessoas? Alias, aqui em minha casa, temos um fogão e uma geladeira de trinta anos e um aparelho de DVD de dez, e o três funcionam perfeitamente.
    -Você deixaria que alguém usasse sua casa como depósito de lixo? Então propriedade privada é a resposta para sua crítica a poluição das indústrias.
    -Políticos são corruptos, já concordamos com isso. “Onde existe concentração de poder, existe corrupção”. A melhor ideia então não seria diminuir esse poder e difundir entre as pessoas? Tirar as empresas das mãos do governo e coloca-las nas mão das pessoas (privatizar) é a solução.

    -Sobre liberdade individual, você está misturando “liberdade” com “dinheiro”. Somos livres para ir a qualquer lugar, mas não temos o direito de usufruir de algum serviço/produto sem pagar por ele.
    Você pode ir de São Paulo a Santos a pé, sem pagar pedágio, ou ir de carro e pagar o pedágio, que nada mais é do que pagamos pelo serviço de manutenção da rodovia. Você trabalharia de graça para todos? Acho que não.

    Sem o cálculo econômico propiciado pelo dinheiro (entenda dinheiro como qualquer commodity), como faríamos para ter o real valor de um meio de transporte ou da entrada de um teatro ou um cinema?

    Alias, qualquer sistema que tente banir o dinheiro está condenado ao fracasso. Isso já foi tentado e acabou em genocídio e fome.
    Qualquer tentativa resultará em forte coerção, ditadura e autoritarismo por parte do grupo incumbido das decisões econômicas (governo).

    A economia nada mas é do que a ciência da escassez. O planeta é finito, portanto, com a população chegando a 9 bilhões de pessoas em 2050, precisamos saber como utilizarmos os recursos dele da forma mais eficiente possível, e é para isso que serve as ciências economias. A discussão atual é se a melhor maneira é deixar as decisões econômicas para o governo (leia políticos corruptos) ou deixar nas mão das pessoas (leia mercado).

    Por fim, me dou o respeito de não pautar minhas opiniões exclusivamente por filmes e documentários tendenciosos como Zeitgeist e outros que você citou. Não que sejam totalmente imprestáveis, mas a essa altura tem muito pouco a me acrescentar. Prefiro pautar minhas opiniões em filósofos e teorias que me fazem sentido. E até este momento, acredito que este mundo seria melhor sem a concentração de poder existente nos governos e com o capitalismo de livre-mercado como sistema econômico. Afinal, ninguém pode me obrigar a comprar nada.

    • 1º – Sou 8 anos mais velho que você.
      2º – Tudo o que você escreveu é coisa batida.
      3º – Na área privada tem mais corrupção do que na estatal, não dentro da empresa, mas sim entre empresas. AIDS, por que em mais de 200.000 anos da nossa história, somente agora, no último século ela surgiu? Como? Tem tudo a ver com que o Nobel de medicina falou, procure se informar mais.
      4º – Não se prestar a analisar alguns dos materiais que te apresentei aqui, já mata qualquer possibilidade de ajudar a encontrar uma solução, juntamente com quem quer.
      5ª – Você é empresário ou investe em bolsa de valores? Só fique sabendo que a economia, PSEUDO-CIÊNCIA está desmoronando desde 2008. O mundo que você tanto defende está por acabar. Essa pirâmide vai desabar. Se você realmente é empresário, já deve estar sentindo a crise.
      6º – Qual foi a parte do “não existe emprego para todos” que você não entendeu? Vai ser perigoso os poucos que possuem algo ficar lado a lado dos que não possuem nada.
      7º – O sistema financeiro prega competição e crescimento infinito. Como uma espécie que segue essas diretrizes pode viver e conviver em paz? Isso a leva à extinção certa. Veja na natureza, quando uma espécie é colaborativa, ela tem sucesso muito maior. Os biólogos já os chamam de superorganismos vivos. Dentro de uma empresa, sem cooperação, a mesma não funciona. Porque não difundir esse conceito além de empresas? Só que com o dinheiro isso não é possível. De todas as soluções que tomei ciência, a que mais faz sentido é o Sistema Baseado em Recursos apresentado em Zeitgeist Moving Forward. Agora, se você não se interessa, não posso fazer nada. Só não fique fazendo críticas vãs dizendo que não funciona, pois o sistema atual, na prática, já não funciona. Ou seja, vale a pena tentar.

    • Cara, vc ta bem feliz com sua vida e sua sociedade, hein. Livre mercado? Devemos sair dessa sociedade de consumo pois não se sustenta. Pq vc acha q procuram condições de vida em outros planetas ? Esse planeta não sustenta esse consumo desenfreado. E as unicas coisas q realmente precisamos para viver é comida e água. O resto é invenção do capitalismo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s